Física do Papai Noel – Lenda ou Verdade?

December 25th, 2004

Category: Outros

Todo mundo já recebeu por e-mail aquela mensagem “provando” que Papai Noel
não existe, mas na verdade essa “controvérsia” ainda continua. O item mais recente nessa história foi escrito por quatro pesquisadores noruegueses e mostra que, segundo a física moderna, Papai Noel está salvo.
Inspirado pelo dia de hoje, mais detalhes e outras informações no artigo. ;)


Segundo a mensagem original, Papai Noel não poderia existir pelos seguintes motivos:

  • Nenhuma espécie conhecida de rena pode voar.
  • Existem cerca de 2 bilhões de crianças no mundo. Mesmo se Papai Noel não considerar as crianças muçulmanas, hindus, judias e budistas, o que reduziria o total pra uns 15% — 378 milhões mais ou menos; com um média (segundo o censo) de 3.5 crianças por casa, isso dá 91.8 milhões de casas. Podemos assumir que há pelo menos um criança boazinha em cada casa.
  • Noel tem 31 horas de Natal pra trabalhar, graças aos diferentes fusos horários e à rotação da Terra, assumido que ele viaje de leste a oeste (o que parece bem lógico). Com esse tempo, isso dá 822.6 visitas por segundo. Isso que dizer que pra cada casa com pelo menos um criança boazinha, Papai Noel tem um milésimo de segundo para estacionar, sair do trenó, pular pela chaminé (quando houver chaminé, se não ele tem que procurar outra entrada), distribuir os presentes sob a árvore, comer algum lanchinho que tiverem deixado pra ele, subir a chaminé, voltar pro trenó e ir até a próxima casa. Assumindo que cada uma dessas 91.8 milhões de paradas estão uniformemente distribuídas ao redor do planeta (o que, é claro, sabemos que é falso mas aceitaremos com o propósito de facilitar as contas), estamos falando de aproximadamente .78 milhas por casa, uma viagem total de 75-1/2 milhões de milhas, sem contar paradas para necessidades, comer, etc. Isso significa que o trenó do Papai Noel se move a 650 milhas por segundo, 3000 vezes a velocidade do som. Para própositos de comparação, o mais rápido veículo construído pelo homem, a sonda espacial Ulysses, se move a meras 27.4 milhas por segundo — e uma rena normal pode correr, no máximo, a 15 milhas por hora.
  • A carga do trenó é outro ponto importante. Assumindo que cada criança não ganha presentes maiores que uma caixa média de lego (pesando umas 2 libras), o trenó tem que carregar 321,300 toneladas, sem contar com o Papai Noel, que sempre é descrito como bem gordinho. No chão, renas comuns podem puxar não mais que 300 libras. Mesmo se renas voadoras pudessem puxar 10 vezes mais, não é possível puxar o total com 8 ou 9 renas. Seriam necessárias 214200 renas. Isso aumentaria o peso total — sem contar com o peso do trenó em si — para 353430 toneladass. O que, de novo para fins de comparação, é quatro vezes o peso do navio Queen Elizabeth.
  • 353000 toneladas viajando a 650 milhas por segundo criam uma enorme resistência do ar –
    isso vai aquecer as renas da mesma maneira que o ônibus espacial esquenta quando re-entra a atmosfera terrestre.
    O par de renas da frente absorveria então 14.3 QUINTILHÕES de joules de energia por segundo cada.
    Em sumo, elas iria pegar fogo praticamente instantaneamente, expondo as próxima renas, e criando um sonic booms ensurdecedor no processo.
    Todas as renas seriam vaporizadas em 4.26 milésimos de segundo. Papai Noel, por sua vez, estaria sujeito a
    forças 17500.06 vezes maiores que a gravidade. Um Papai Noel de 120 quilos seria esmagado contra o trenó por 4315015 libras de força.

No entanto, algumas questões intrigam os interessados nessa controvérsia.
Por exemplo, por que o NORAD (North American Aerospace Defense Command), organização militar do Canadá e dos EUA e responsável pela defesa aero-espacial dos dois países,
iria manter um programa de rastreamento do Papai Noel na véspera de Natal (NORAD Tracks Santa Website) se fosse tão óbvio que ele não existe???

Além disso, cientistas e pesquisadores tem levantado problemas nos cálculos e premissas errôneas nos argumentos apresentados acima.
Um deles é o de que estima-se que existam cerca de 300000 espécies de organismos vivos ainda não classificados,
e embora a maioria deles seja de insetos e germes, isso não elimina a hipótese de existir renas voadoras desconhecidas.

Com relação às premissas assumidas no texto, Davies e Slaughter apontam em ‘Davies and Slaughter, “In Search of Schrodinger’s Reindeer,” New Scientist, December 1999′
que se fosse de fato levado apenas em consideração o número de crianças boazinhas nos cálculos, o número de visitas seria reduzido
por um fator de 10^9.

Lorenzo Sadun, por sua vez, mostra que alguns outros cálculos com relação a física estão errados.

  1. O cálculo da carga descrito não faz sentido. Adicionando, digamos, 1000 voltas ao
    Pólo Norte para recarga aumentaria percentualmente pouco a distância total coberta,
    enquanto reduziria a carga do trenó por um fator de 1000. Esta é claramente uma boa abordagem.

  2. A distribuição não-uniforme das crianças boazinhas tem um impacto tremendo an rota escolhida.
    Com rotas bem traçadas, aq distância média entre duas crianças boazinhas é de apenas algumas centenas de metros
    em áreas urbanas (onde estão a grande maioria das crianças). Com apenas .05
    milhas em média separando as crianças boazinhas, Noel precisa viajar apenas em Mach 200, somente
    um pouco mais rápido que a Ulysses. Isso reduz a força da resistência do ar por um fator de 200,
    e a energia obsorvida pelas renas por um fator de 3000.

Levando em consideração esses dados, quatro pesquisadores noruegueses (Knut Jørgen Røed Ødegaard, Gaute Einevoll, Nils Lid Hjort e Ane Ohrvik) recentemente explicaram, com o auxílio da física moderna, como Papai Noel pode realizar seu trabalho.

Segundo Ødegaard: “Papai Noel obviamente tem um escudo de íons de partículas carregadas, mantido intacto
por um campo magnético, que cobre todo o trenó. É assim que ele resolve o problem do calor”. Ele também aproveita
para lançar uma nova visão sobre o céu noturno:

“Acontecem muitas chuvas de meteoros em Dezembro. Muitos astrofísicos mantem que essas luzes no céu
são resultado de partículas de poeira que se queimam ao entrar na atmosfera. Mas isso não é correto, pois eles
ignoram a verdade: As luzes são resultado do Papai Noel entrando e saíndo da atmosfera enquanto viaja ao redor do globo
entregando os presentes de Natal?. Supõe-se assim que o velho Noel economiza tempo e energia, além de diminuir a resistência do ar, tendo os brinquedos no espaço.
Um novo carrinho ou uma nova boneca pesam bem menos do que no solo.

“Do mesmo modo, Papai Noel não viaja nas nossas quatro dimensões (lembrando que o tempo seria a quarta dimensão),
mas faz uso de cerca de 11 dimensões. O uso dessas dimensões torna fácil e rápido pegar os presentes no seu armazem no Pólo Norte”, acrescenta Ødegaard,
enquantod Hjort e Einevoll acreditam que estudos recentes em string-theory permitam o uso de, no mínimo,
26 dimensões.

Davies e Slaughter também propoem uma teoria em que se pode considerar o Papai Noel como uma forma de onda, mas esse já seria assunto para mais um outro artigo.

Deste modo, com base nas informações apresentadas, todas as crianças podem ficar tranquilas:
As leis da física garantem que Papai Noel continua tão ativo quanto sempre foi!


Fontes:
PhysOrg -
The Physics of Santa Claus

Santa Claus Calculations

NORAD Santa Tracker

;)
– tellarin

No comments yet


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>